DesMONTAR

Cada vez mais vejo o quanto faz sentido para mim mesma quando digo que o blog é uma extensão pura e realista da minha vida. Vivendo entre ciclos de overdose de posts e pequenos momentos de solidão do 22mm, eu me encontro entre minhas pausas e meu ritmo frenético.

No entanto, eu sei que cada vez que sento para escrever, ou melhor, muito antes disso, para criar algum post, sei que eu me entrego. Mesmo hoje, com poucos versinhos escritos para aumentar a coleção de posts, nada foi por acaso. Pelo contrário, foi muito planejado.

Tentei de alguma forma encontrar uma fotografia que pudesse captar um pouco do meu momento de agora, mas com a minha HD pifada (#desespero) eu não tive muitas opções. Mas, em meio a essa limonada fotográfica que a vida me colocou (rs), achei uma que se encaixa direitinho.

Ali me vejo, entre o mar aberto e o coração pequeno, ou melhor, entre a imensidão azul e o peito aberto. Minha vida, meu jeito de descobrir e compreender o mundo. Um misto de sorriso por fora e silêncio por dentro. De quietude externa e explosão interna, refletida em sua melhor maneira nos tons que compreendem o amor.

Meu melhor amigo e eu.

Eu, ele e o  mar.

Mar, nós, dois, vida e amor.

Amor, porque sem Ele não existe eu.

São essas tais somatizações de amor que me ensinam a viver.

IMG_0256fOs posts podem pingar, mas não secam jamais :)

Bj,

Tutu

Leave a comment