Cadê o mostro do Lago Ness?

Oiiii :)

Depois  de uma  pausa nas fotos da viagem, com direito apenas a diquinha de Londres (aqui), hoje voltei com o post turístico e um tanto enigmático, hehehehe.

Acredito que quase todo mundo ja tenha ouvido falar sobre a lenda do Monstro do Lago Ness. E não é que a gente foi conferir de pertinho?!

Saímos de Edimburgo e pegamos o trem até a cidade de Inverness, a capital das Highlands. O nome Inverness significa “boca do Rio Ness”.

Mas espere um pouco, eu disse rio? Siiiim!

Vou explicar melhor. Minhas fontes confiáveis (cof cof cof) dizem que o Lago Ness tem aproximadamente 37 km de extensão, mas chega em um ponto de transição onde o rio Ness flui, bem ao norte do lago, exatamente onde fica a cidade de Inverness.

A viagem de trem é bem tranquila, tirando os cinco primeiros minutos de desespero para achar um lugar para as mochilas (rs), sentar, tomar um café quentinho e aproveitar para atualizar o caderno de viagem é tãoooo bom. E nessa viagem em especial, posso dizer que fomos muito abençoados, pois na noite anterior havia nevado muito e o caminho pelos trilhos estava MARAVILHOSO.

Vou me lembrar para sempre de me ver dentro do trem, com montanhas cobertas dessa neve linda por todos os lados. Fiquei enlouquecida, andando de um lado para o outro para poder ver a neve nos dois lados do trem e me emocionar mais uma vez com essa natureza incrível.

inverness_05inverness_41inverness_40inverness_04


Assim que chegamos em Inverness, fomos direto para o hotel deixar as mochilas, comer alguma coisa rápida (lá anoitece antes das 16:00 – no inverno), dar uma volta na cidade e decidir como iríamos para Skye. Depois de um quarteirão com queijo, paramos nesse café para conversar e tentar descobrir aonde encontrar um guia que nos levasse.

Eu odeio Whisky, experimentei uma vez e achei parecido com “madeira líquida”, hohoho, mas estando na Escócia, país do Single Malt, achei que me deliciar com pequenos macarons de whisky seria uma boa oportunidade de experimentar algo local (rs). Não adianta, eu tenho sempre que afrancesar minhas escolhas para garantir minha felicidade, hehehehe.

Mas posso adiantar que esses macarons eram divinos e a última coisa que tinham era o gosto da bebida.

inverness_08

inverness_09inverness_10 inverness_11inverness_12

Olhei para o Daniel com essa carinha preocupada que eu conheço bem e disse que iria registrar para sempre nos lembrar da sua preocupação em contratar ($$$) um guia que nos lavasse até Skye. Para nós, viajar no inverno é sempre muito legal, pois adoramos o frio, não pegamos filas para praticamente nada, os preços dos hotéis e da passagem são mais amigos.

Mas, para quem quer viajar para Escócia no inverno e tem vontade de explorar um pouquinho da sua beleza natural, não é tão fácil na questão de preço e disponibilidade de guia turístico. Na verdade, vimos que é BEM difícil. Estávamos meio perdidos até chegar lá, mas tínhamos duas idéias iniciais:

↓↓↓↓↓↓↓↓↓↓↓↓↓↓↓↓↓↓↓↓↓↓↓↓↓↓↓↓↓↓↓↓↓↓↓↓↓↓↓↓↓↓↓↓↓↓↓↓↓↓↓↓↓↓↓↓↓↓↓↓↓↓↓↓↓↓↓↓↓↓↓↓↓↓↓↓↓↓↓↓↓↓↓↓↓↓↓↓↓↓↓↓↓↓↓↓↓↓↓↓↓↓↓↓↓↓↓↓↓↓↓↓↓↓↓

a) Alugar um carro: você pode alugar do Brasil, como na maioria dos outros países. Mas estávamos com medo da neve e das famosas pistas estreitas da Escócia. 

b) Ir de ônibus: na rodoviária de Inverness você encontra o itinerário Inverness → Skye, mas queríamos VIVER a experiência das Highlands e não apenas olhar pela janelinha do ônibus. Optamos usar o ônibus apenas na volta de Skye para Inverness.

↑↑↑↑↑↑↑↑↑↑↑↑↑↑↑↑↑↑↑↑↑↑↑↑↑↑↑↑↑↑↑↑↑↑↑↑↑↑↑↑↑↑↑↑↑↑↑↑↑↑↑↑↑↑↑↑↑↑↑↑↑↑↑↑↑↑↑↑↑↑↑↑↑↑↑↑↑↑↑↑↑↑↑↑↑↑↑↑↑↑↑↑↑↑↑↑↑↑↑↑↑↑↑↑↑↑↑↑↑↑↑↑↑↑↑

Essa paradinha no café nos instigou a procurar um guia e achamos que a solução seria ir até o centro de informação ao turista e pegar alguns telefones, mas nos disseram que no inverno os guias turísticos raramente trabalham. Fato!

Mas viva o TRIPADVISOR, onde conseguimos encontrar o Hugh.

Mas o Hugh fica pro outro post :)

Enfim, aproveitamos as últimas horas de luz e fomos conhecer Inverness. Posso dizer que para nós, Inverness não foi o ponto alto da viagem, na verdade a gente achou que ela é uma cidade estratégica para se chegar às Highlands e interessante para conhecer a história do Monstro do Lago Ness. Mas tenho que confessar que assim que chegamos a Inverness, sentimos algo MUITO estranho.

Não sei se alguém ja sentiu isso, mas assim que pisamos em Inverness, nos sentimos meio deprimidos, até com vontade de chorar. Não sei o porque, mas é sério!!!! Sabe aquela coisa de um olhar para o outro e dizer que está sentindo a mesma coisa?

Talvez seja pelo fato do dia ser MUITO curto no inverno, amanhecendo por volta das 9:00 e anoitecendo antes das 16:00, o frio cortante, a cidade muito úmida. Nesse dia voltamos para o hotel às 17:00 e não tinha mais ninguém na rua.

Tivemos a sensação  de que as pessoas não pareciam muito felizes, sei que é impressão, mas a sensação que ficou foi essa.

inverness_48

9P1A1588c


Fim de dia nas férias  é assim: hotel, mapas, guias e decisões.


inverness_18No outro dia acordamos cedo e fomos direto para a estação de ônibus para ir até o Centro de Exposições do Lago Ness. Olha que lindo o sol das 8:00 em Inverness, rsrsrsrs.
inverness_19E cadê o monstro???

→ No final do post ele aparece, prometo!!!

E chegando lá era tudo TÃO escuro que não dava para fotografar, quén quén quén quénnnn. Mas eu gostei muito, conheci sobre a lenda e o quanto esse monstro contribuiu para os estudos científicos que foram desenvolvidos e que até hoje mantém aquela região viva dentro da Escócia.

Pelo menos uma foto turistona eu tenho!!!

E como diria o marido: com o símbolo ORIGINAL do Monstro!!!hehehehe.

♥ Tem gente que voltou a ser criança esse dia. ♥


inverness_20Agora uma pausa dramática para a vila que tanto esperávamos conhecer e tomar um café da manhã quentinho para espantar a friaca.

A vila estava fechada!!!! Sim amiguinhos, a vila estava fechada, com placas de “voltamos em março” espalhadas pelas casinhas e restaurantes, rs. Para não dizer que morremos de fome, achamos uma lojinha de cupcakes que salvou a manhã com dois bolinhos de caramelo e limão, mais uma dose reforçada de chocolate quente :)
inverness_22inverness_23Conseguimos encontrar um posto de informação ao turista, ou melhor, aos únicos dois turistas na vila, hahahahaha. Perguntamos sobre o tal do Castelo de Urqhart, que já foi o maior castelo da Escócia e que hoje são apenas ruínas. A guia nos sugeriu ir caminhando por uma estradinha paralela a rodovia. A previsão era de 30 minutos de caminhada, nada mal.

#partiucastelo → hohoho

Durante o percurso, confesso que sentimos um medinho, pois estávamos no meio do nada, nenhum carro passava, nenhuma pessoa.

E se fossemos assaltados, sequestrados ou mortos?

Gente, como é triste estarmos tão “””acostumados””” com essa realidade de violência e medo.

:(

Só lembrava do meu pai (que é bravo, né pai?!)  fazendo mil questionamentos sobre a segurança da nossa viagem, hehehehehe. Mas foi muito legal, adorei e faria de novo. Caminhar e de repente ver o imenso Lago Ness nascendo na nossa frente, foi algo assustadoramente lindo.

inverness_42
inverness_49

inverness_27
inverness_28inverness_47Depois de quase 1 hora de caminhada (levando em conta o tamanho da minha perna com a dos escoceses, realmente seriam 30 minutos de caminhada para eles, rs) chegamos ao Castelo de Urqhart, que fica a beira do Lago. Quando o avistamos assim de cima, mais uma vez agrandecemos a guia em pensamento pela caminhada.

O passeio nas ruínas é MUITO organizado, com um pequeno filme contando a  história do castelo, exposição, lojinha e café. Ah! No verão você também pode fazer um passeio pelo lago.

inverness_30


inverness_44inverness_35inverness_45inverness_36inverness_37inverness_46
inverness_39E para quem esperou o GRANDE momento, eis que lhes apresento o terrível Monstro do Lago Ness.

TCHARAAAAMMMMM!!!

Hohoho

inverness inverness_02

Espero que tenham gostado de conhecer mais um pouquinho dessa Escócia linda de viver.

Bjs,

Tutu

Leave a comment